A beleza da intimidade


Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho.


Por muito tempo, pra não dizer séculos, cristãos bem intencionados interpretaram erroneamente Cântico dos cânticos. Presumiam que Deus não gostava do corpo humano (muito embora ele mesmo o tenha criado), portanto se esquivavam da óbvia sexualidade deste pequeno livro.

Embora existam alguns elementos alegóricos sua principal função não é alegórica mas romântica.
Alguns termos usados neste livro pode parecer um pouco estranho para os nossos dias.Mas não há dúvida de que o Cântico de Salomão elogia a beleza da sua esposa, descrevendo seus olhos, lábios, face, pescoço e seios.
Ele expressa isso por meio de metáforas próprias do mundo agrícola do Oriente Médio.
O Cântico mostra que a intimidade sexual envolve tempo para o ato em si. Em vez de algo rápido, Salomão canta a amada as belezas que ela tem. Isso por sua vez, desperta nela o desejo de compartilhar seu corpo com ele.
Depois de ouvir as palavras dele, ela diz:" Que o meu amado entre em seu jardim e saboreie os seus deliciosos frutos." (v.16)
Claro que casamento é mais que sexo. Mas casais que negligenciam seu relacionamento físico estão fazendo pouco caso de um dos maiores presentes de Deus e sujeitando o casamento às tensões que enfraquecerão seus fundamentos.
A noiva (esposa) é comparada a um jardim, a uma nascente e a uma fonte (4.12-15), as quais eram inacessíveis a Salomão até então.
A satisfação sexual do casal é comparada a frutos que saem desse jardim.
Muitos de nós ( na sua maioria mulheres) podemos sofrer a dor de ter sido violados por outros. Podemos sentir que nossa sexualidade foi estragada, contaminada. Mas Deus que nos criou é capaz de restaurá-la.
Lembrando que esse presente é dada para casamento.
Desfrute desse presente com seu cônjuge.

Tecnologia do Blogger.

Rádios que ouço

Rádio Palavra de Vida - Rádio Evangélica que toca em seu coração WEB RÁDIO RGA

Participo